segunda-feira, 23 de maio de 2011

Perdi-me


Perdi-me no avesso de mim
tantas vezes, que já nem sei quem sou.

Rosane Silveira

2 comentários:

CARVALHO ( O ASTRONAUTA PERALTA ) disse...

EU POR MIM

Paulo Carvalho

Por que sou assim?
As vezes bom noutras omisso
Uma parte de mim reluz
Livre, solta, suave que seduz
Outra fere, magoa, maltrata

Recorro sempre às palavras
Ouro puro que salva, acalma
Beijo a boca da mulher que amo
Encontro em seu corpo meu recanto
Retomo minha vida todos os dias
Trabalho, luto e mato um Dragão a cada dia
Outra vez me questiono: vale à pena?

Cravo e protejo meu corpo debaixo d’água
Arremesso meus sonhos para cima e adiante
Recomponho-me sempre, forte e firme
Vivo um dia de cada vez
A cada dia vou me reinventando
Ligando pontos aqui e ali
Horizontes são as metas do meu caminho
Opção de ser é uma certeza

Deixo-me levar por coisas simples
O reflexo que olho no espelho

Não é meu rosto que ali se reflete
Aquele não sou eu, será?
Sinto que parte de mim é perdão
Como dói saber que a outra parte não
Independente de ser ou não real
Me pergunto: o que sou?
E real?
Neste espelho me exponho inteiro
Transcedo, Vivo lutando e vou além
O que sou me basta, e a quem amo também

Dil disse...

Linda Poesia....parabéns Rosane...que sua alma seja sempre muito iluminada com os traços da poesia...sendo assim...que seu coração seja sempre encantado....obrigada pelas lindas postagens !!

Bjs
Dil Silva