quarta-feira, 8 de abril de 2009


Decerra o véu que cobre essa noite insólita
onde o amor se faz presente
desço sobre ti meu véu de sedução
envolvo-te com minhas mãos insandecidas de amor
todo um torpor invade tua alma
que entregue a mim
suspira e ansia por meus toques
sacio-me com teus beijos
tua pele eriça
e te possuo inteiro
sente-se entorpecido e doído de amor
esparmos de gozos intensos ecoam na noite escura
e por fim
quando o dia amanhece
não tens nada, nem a ti
tão pouco a mim...
deixo-te somente a saudade
a dor e o martirio de sonhar-te meu
nessa eterna noite que te possui
e me possui nesse amor sem fim.

Rosane Silveira
(proteja os direitos da autora)

2 comentários:

Priscila S.Lisboa disse...

Hummmmmmmmmmmm...
Esse é de fazer lamber o ar!!!

Anônimo disse...

Minha linda flôr Rosane...
Tão somente adentrar este horto, sinto-me envolvido por uma vibração serena e plena. Estes versos, acendem no meu imo todo um mundo subjetivo, que nuuma doce argúcia percebo-me no "Jardim das Oliveiras", onde não há senão o eco da exaltação da beleza do amor... Palavras oriundas dos mais profundos e belos sentimentos, nos fazem outros em nós. Vc me faz gritar bem alto "não sou mais eu quem vivo... Mas vc que vive em mim!!!
Doce momento... E quero te asseverar...Quão gostoso e viver esse momento.
Amo amar-te
Amo sonhar
Amo viver e aproveitar cada fração, cada soneto, cada nota tão angelical, senão bem temperada, pelo que há de mais belo...
Vivi cada momento desta melodia... desta poesia... desta expressão de amabilidade.
bjus doces na alma
Dessa singela
Amorizade sua

Jean Carlos Fernandes Amorim