domingo, 3 de fevereiro de 2013

Consertos do coração

Consertos do coração


Essa coisa de entrar no coração do outro e ali fixar residência é uma coisa muito séria tem que se fazer sabendo que pode estar assumindo um alto risco de estragar as paredes, manchar o chão...quebrar alguns vidros.
Deixar marcas profundas que demorarão pra serem consertadas
essa coisa de entrar no coração do outro requer responsabilidade, por mais que remendemos ou tentamos consertar nunca, nunca mesmo fica igual como era antes, o nosso passo vai ficar marcado, a nossa entrada (e como é fácil entrar) já ficou marcada ai sem mais nem menos a gente sai, se desliga, deixa pra lá...
nem parece que a gente esteve tanto tempo morando dentro desse coração, nem parece que tudo o que falamos repercutiu de forma ímpar na vida daquela pessoa que por algum tempo nos abrigou.
E a saida as vezes deixam marcas no chão horriveis de lama, tristeza e abandono móveis esparramados, tudo jogado...
Penso que pra fazer isso com outro ser humano tem que ter peito, coragem e muito, muito pouco sentimento de solidariedade com o outro, amor, compaixão.
O coração que ficou ali abandonado, ficou perdido, abatido, perfurado, há sujeira por todos os lados. Nossa, ter que recomeçar, levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima custa a beça, rearrumar tudo no lugar os sentimentos nas prateleiras certas, limpar o chão tão sujo pelo abandono colher algumas flores e tentar a todo custo enfeitar esse coração que foi invadido.
Colocar nas paredes a massa da compreensão, do cuidado, do zelo e recomeçar pintando as paredes de cores claras, abrindo as janelas e deixando o sol entrar fazer isso é dificil mas se faz necessário.
toda mudança requer planejamento e daí que tenha que comprar alguns móveis novos?
Infelizmente não se pode fazer uma omelete sem quebrar os ovos assim é o coração quando a gente abre a porta dele tem que arcar um pouco com as consequencias também do estrago que o novo inquilino possa vir a fazer nele poderia ter sido tudo esclarecido mediante um contrato mas na hora a gente nem pensa...deixa entrar e se instalar, usar e abusar.
Mas pra gente fazer isso tem que ter peito, não só um coração brejeiro, tem que ter coragem de dar a cara pra bater, sentir mesmo todas as emoções que um novo inquilino pode trazer, como é complicado isso tudo, como é complicado um coração em abandono, perdido...destruido, cansado.
E o pior é que depois da cada (coração) limpa e arrumada a gente corre o risco de se deixar enlamear de novo mas fazer o que? É a vida.
Viver requer isso...consertos diários.

Rosane Silveira

Um comentário:

Malu Silva disse...

Eu prefiro apenas passear pelos corações das pessoas e se elas desejarem que eu fique daí é outra história... Tenho meu grande amor, mas mesmo assim o coração dele fica aberto para receber quem ele quiser... O meu também está aberto para todos aqueles que vem para o BEM... Coração é algo liberto...
Abraços