segunda-feira, 3 de agosto de 2009


Vivenciar minhas dores de forma digna
como se estivesse morrendo um pouco
a cada segundo, como sei que estou...
é a mais árdua das tarefas tenho por
vezes vontade de gritar:
- ei estou aqui me atirem de vez na fogueira
me queimem viva até me escalpar e
por fim sangrem meu coração
no punhal da indiferença
me agridam de forma voraz
e me falem o que realmente pensam...
não meçam palavras para me medir
me sacrifiquem e depois pouco a pouco me
torturem...a alma cansada agradece...



Rosane Silveira

2 comentários:

£åßi®iñtø disse...

Oi Rosa Rubra *.*

Sim, algo em vc grita para ser dilacerado, e é o teu coração. Uma ânfora cheia de tesouros a espera de ser partida...

Meu beijão
Escrito com o sangue que corre no caule.

Anônimo disse...

Rosa perfumada
Encantos de meu imo...

Esse seu poema, menina
pela quinta vez venho desfrutar...
e, com subtilidade,
mobiliza minha alma...

Ternura, candura
e Amor
são predicados
desta Rosa linda
Que com meu carinho
venho me perfumar.

bjus na alma
Jean