quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Amores Rasgados


Amores rasgados

Amores rasgados
em prantos machucados
foi tudo o que restou
de um grande amor
palavras de mesuras
algumas outras frescuras
de quem se encontra
por acaso e não tem
o que dizer, depois
que um grande amor
deixou esmorecer
gritos silenciosos
ecoam pelos cantos
e assim vamos indo
eu e você
sem palavras, apenas
risos amarelos
depois que nosso amor
de tanto morrer aos poucos
desfaleceu.


Rosane Silveira

Um comentário:

"Voando com Borboletas" disse...

Rosane, amei este poema!
Simples, direto, doce, suave como uma brisa....
Sem deixar de ser forte e sensual.
Lindo mesmo!!!
E vê se vem me visitar!
Bjokas
Borboleta