sexta-feira, 1 de maio de 2009




...E ela podia pensar que era feliz
até era...dentro de sua limitada decadência
e se olhou no espelho como se tivesse
olhando o nada e ficou ali parada sentindo
uma tristeza súbita invadindo sua alma
onde foram parar os anos de beleza sem fim
onde tudo nela floria como num jardim ?
sentiu que sua alma ia se esvaindo junto
com sua beleza e ela ficou ali quieta
silenciosa, olhando o silencio que se fazia
presente dentro de si
e fechou-se num silencio tão assustador
que temeu ter desfalecido de tanta dor
e chorou com um choro condoido de
uma tristeza solitária onde era só
ela e o espelho que a fazia reconhecer-se
tal como era...

Rosane Silveira
(proteja os direitos da autora)

2 comentários:

Priscila S.Lisboa disse...

Oi Rose...

Em pensar que o tempo passará para todos,sem exceção!!Vamos começar uma campanha:QUEBREMOS NOSSOS ESPELHOS JÁ! =)

Beijokas!!

Anônimo disse...

Rimã...muitas saudades suas. não consigo falar com vc por lugar nenhum. como vc tá????? Lindo seu blog ....entra em contato comigo...to com saudades
bjks no coração